Acesso ao Site!

Use a barra superior para realizar o seu primeiro
login no site!

Sua mensagem foi enviada
com sucesso!

Logo entraremos em contato com você!

Sinduscon-RS

Área do associado

Fones

Ligue Agora:
Fone: (51) 3021-3440

Você esta:

Sinduscon - RSLideranças se reúnem para debater o futuro de Santa Cruz do Sul

Lideranças se reúnem para debater o futuro de Santa Cruz do Sul

voltar

01

Dec

Lideranças se reúnem para debater o futuro de Santa Cruz do Sul

Postado em 01 de December de 2017
Destaque página inicial  Notícias  

Crédito: Crédito das fotos: Junio Nunes

Lideranças locais se reuniram no dia 30 de novembro, para discutir ações diferenciadas para o desenvolvimento de Santa Cruz do Sul, com a contribuição da pesquisadora e coordenadora do núcleo de Projetos do Instituto a Cidade Precisa de Você, Marcella Arruda, e do diretor e presidente da Solução Consultoria, Silvio Barros. O Seminário O Futuro da Minha Cidade aconteceu no Salão de Convenções do Aquarius Hotel com a presença de cerca de 100 pessoas. O evento é uma reflexão ao questionamento: Como você quer que seja a sua cidade daqui a 20 anos?. O foco está voltado para a importância da participação de todos nessa construção, como protagonistas das mudanças.
O seminário, que já aconteceu em outras cidades do Brasil, é uma realização da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), com correalização do Serviço Social da Indústria (Sesi), em parceria com o Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Rio Grande do Sul (Sinduscon-RS). Em Santa Cruz do Sul, a iniciativa é do Escritório Regional Vale do Rio Pardo do Sinduscon-RS, com apoio da Associação de Entidades Empresariais de Santa Cruz do Sul (Assemp), Associação Santa Cruz Novos Rumos (Ascnor), Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc) e Prefeitura.
O vice-presidente do Sinduscon-RS e coordenador da Regional Vale do Rio Pardo, Auro Schilling, abriu o seminário ao saudar os presentes e falar sobre a importância do momento. “Devemos participar mais ativamente, pensar no nosso futuro, e temos ferramentas para isso”, destacou. O presidente da Ascnor, Flávio Haas, contou um pouco sobre o trabalho desenvolvido pela entidade, que vai ao encontro da proposta do evento. “É preciso persistência para cada vez mais contribuir e participar ativamente”, ressaltou.
Já o pró-reitor de Extensão e Relações Comunitárias da Unisc, Angelo Hoff, disse que a universidade participa ativamente e apoia o engajamento de trabalhos como este. “O evento tem tudo a ver com a missão institucional da universidade. Mais um movimento que se junta a outras iniciativas”, frisou. O presidente da Assemp, Léo Schwingel, apontou a iniciativa como magnífica devido a sua importância. “Que tudo isso retorne em benefícios para a comunidade. Que seja um projeto que se concretize”, declarou.
  PARTICIPAÇÃO – A primeira palestra do seminário foi conduzida por Marcella Arruda, que, desde 2012, atua para auxiliar na criação de cidades mais criativas e sustentáveis. Durante a explanação, ela especificou o que seria o significado de uma cidade melhor, utilizando exemplos. Marcella falou sobre uma cidade voltada ao interesse público, para as pessoas, bem como a importância da participação de todos, da utilização de plataformas digitais ou presenciais que fazem o trabalho coletivo acontecer. “É preciso pensar de uma maneira mais integrada e estratégica”.
Entre os desafios, a palestrante citou a atualização do patrimônio, produção de alimentos, saneamento ecológico, lixo zero, cidade compacta, turismo integrado, terras públicas de uso comum e modelos produtivos híbridos. Sobre a avaliação que ela fez de Santa Cruz do Sul, destaque para os espaços que podem ser melhores aproveitados, a qualidade urbana existente, a integração com o meio ambiente, entre outros. Marcella salientou que é preciso saber “como pensar este futuro e como complementar o que já existe”. E ainda afirmou que “o que queremos da nossa cidade está muito relacionado com o que somos”.
  EXEMPLO – Silvio Barros trouxe para o seminário o exemplo de Maringá (PR), onde foi prefeito por duas gestões. Barros falou sobre a importância de estimular um jeito diferente de organização da cidade para que os esforços que já estão sendo feitos sejam mais enérgicos. Ele salientou que Santa Cruz do Sul já está mais avançada em relação a planejamento, pelo trabalho que as entidades já veem desenvolvendo, e considerou que o município está em uma situação razoável. “Tem que preparar a cidade para que os objetivos realmente aconteçam. Começar a pensar, encontrar saídas”, ressaltou.
O palestrante mostrou números e explanou sobre as atividades econômicas de Santa Cruz do Sul. Barros ainda discorreu a cerca de estatísticas populacionais, estratégias para trazer pessoas para a cidade, crise e acomodação, gestão pública, desequilíbrio entre direitos e deveres, economia digital, entre outros assuntos. “A sociedade civil é o ‘patrão’ do gestor público”, afirmou. Após as palestras, o espaço foi aberto para debates e perguntas, em que diversos temas foram levantados, entre eles, mobilizações da comunidade e de gestores públicos, o poder da universidade comunitária, sociedade civil, tecnologia e impactos da Saúde e da Educação.
PROGRAMA – A mobilização das entidades envolvidas segue junto com Programa O Futuro da Minha Cidade, que viabiliza um manual de implantação do Conselho de Desenvolvimento da Cidade, que tem a orientação de renomados consultores e urbanistas, bem como apoio e patrocínio de diversos órgãos. Os trabalhos prosseguem com a institucionalização do processo, formalização e legalização das atividades, operacionalização e o planejamento de longo prazo.

Alternative content

Get Adobe Flash player



Alternative content

Get Adobe Flash player

Principais serviços

Sindicato das Indústrias da Construção Civil no Estado do Rio Grande do Sul Rua Augusto Meyer, 146 - Porto Alegre - RS - Fone: (51) 3021-3440

Produzido por: