Acesso ao Site!

Use a barra superior para realizar o seu primeiro
login no site!

Sua mensagem foi enviada
com sucesso!

Logo entraremos em contato com você!

Sinduscon-RS

Área do associado

Fones

Ligue Agora:
Fone: (51) 3021-3440

Você esta:

Sinduscon - RSGoverno do Estado busca autorização para privatização ou federalização da CEEE, Sulgás e CRM por plebiscito

Governo do Estado busca autorização para privatização ou federalização da CEEE, Sulgás e CRM por plebiscito

voltar

29

May

Governo do Estado busca autorização para privatização ou federalização da CEEE, Sulgás e CRM por plebiscito

Postado em 29 de May de 2018
Notícias  

“A mesa diretora da Assembleia decidiu suspender votações programadas para esta terça-feira (29). Haverá sessão, porém sem ordem do dia. Além da ordem do dia, estão canceladas as reuniões de líderes e da mesa diretora, que deveriam ocorrer pela manhã. Nesta terça-feira, estaria na pauta a proposta de realização do plebiscito para privatizar ou federalizar  a CEEE, Sulgás e CRM.” A informação chegou ao conhecimento do chefe da Casa Civil, Cleber Benvegnú, e da secretária de Minas e Energia, Susana Kakuta, durante reunião-almoço da diretoria e comissões do Sinduscon-RS, liderada pelo presidente da Entidade, Aquiles Dal Molin Junior, realizada hoje (28/05), na sede do Sindicato.

O plebiscito para privatizar ou federalizar as empresas estatais que estão com dificuldades financeiras ou para ampliar os investimentos – Sulgás, CRM (Companhia Riograndense de Mineração) e Grupo CEEE – foi o tema central do encontro. Os secretários detalharam os motivos que justificam o apoio da sociedade para aprovação do plebiscito. Os  números deixam evidente a crise operacional das três estatais, especialmente da CEEE, que também enfrenta sérios problemas financeiros. Hoje, segundo demonstrou a secretária de Minas e Energia, Suzana Kakuta, a estatal tem um patrimônio líquido negativo de R$ 1,2 bilhão e um passivo trabalhista de quase R$ 800 milhões. Além disso, para manter a concessão junto à Aneel, seria necessário investir mais de R$ 2,1 bilhões. “Precisamos que a população decida sobre o que espera do Estado: que invista cada vez mais em áreas essenciais, como Saúde, Educação, Segurança, Infraestrutura e Políticas Sociais; ou que desloque recursos desses setores para pagar os rombos de empresas deficitárias”, disse Kakuta.  “No caso da CEEE, estamos ( toda a sociedade rio-grandense) correndo sérios riscos do cancelamento da concessão. Neste caso, perdemos o negócio e ficamos apenas com a responsabilidade de resolver o prejuízo”, reforça.

O chefe da Casa Civil, Cleber Benvegnú, lembrou que o governador tenta destravar o tema na Assembleia Legislativa desde 2015, seja pedindo a retirada da exigência do plebiscito para privatizar ou federalizar as estatais (conforme exige a Constituição do Rio Grande do Sul), seja tentando autorização para realizar a consulta. Salientou ainda, que o Governo almeja a realização do Plebiscito junto com as eleições de 7 de outubro como forma da ação não implicar mais despesas. “Organizar o plebiscito em outra data representaria um gasto de aproximadamente R$ 18 milhões para o Estado”, salienta o chefe da Casa Civil. Porém, para isto os deputados, também precisam aprovar um projeto de lei que equipara a legislação estadual a uma resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de forma que deputados autorizem o plebiscito até 90 dias antes das eleições. Hoje o prazo entre a aprovação da consulta e a realização é de cinco meses.

Além de dirigentes do Sinduscon-RS, estiveram presentes no evento empresários e líderes sindicais de outros segmentos econômicos e profissionais do Estado como Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), Sindicato Intermunicipal das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis e dos Condomínios Residenciais e Comerciais no RS (Secovi), Sociedade de Engenharia do RS (Sergs), Sindicato de Hospedagem e Alimentação de POA e Região (Sindha) e Associação  das Empresas dos Bairros Humaitá e Navegantes (AEHN).

Acesse os números sobre o desempenho das estatais em questão e decida qual o Estado que você defende!

Alternative content

Get Adobe Flash player



Alternative content

Get Adobe Flash player

Principais serviços

Sindicato das Indústrias da Construção Civil no Estado do Rio Grande do Sul Rua Augusto Meyer, 146 - Porto Alegre - RS - Fone: (51) 3021-3440

Produzido por: